9 de dez de 2007

Saturno

Acendo um cigarro e vejo o dia passar.
Tanto tempo tenho, que me falta tempo para ser quem sou.
Preparo de pijamas meu café, falta-me tanta coisa.
São tantas as coisas que não vivi, me lembro da viagem que não fiz, das coisas que não te disse, volto para entro de mim. Quem sou mesmo?
Bobagem, sei quem sou, sei quem fui, será que não sou mais eu mesma?
Estou sempre apressada, calada.
As vezes me sinto quase que encarcerada. Minha prisão de pensamentos vagos.
Meu eu enfrenta o espelho de cabelos emaranhados, de vista cansada.
Era bela, passarela, novela, Cinderela...
Era ela, era eu!
Riso, choro, sinfonia, elementos...
Hoje pedra que não rola.
Sei quem sou, não sei quem estou! O tempo em meu relógio anda mais devagar.
Acendo outro cigarro e vejo a noite passar, sou espectador do universo.
Sou saturno, isolada no espaço e com apenas um anel !

12 de out de 2007

PRA QUANDO VOCE VOLTAR:

Se eu acordo as seis horas da manhã
E preparo a casa
Antes de sair
Revista, incenso, chocolate com avelã
O sol nas plantas no quarto de vestir
O sol nas plantas no quarto de vestir
Um dia, um ano ou dois
Deixam magoas pra trás
O que importa agora
É o que vem depois
O vôo chega as dez, não quero me atrasar mais
O vôo chega as dez, não quero me atrasar mais
Imaginando como você deve estar
Piercing no nariz, historias pra contar
No piano partituras de Chopin
As coisas todas no lugar
Pra quando você voltar!!!
Pra quando você voltar!!!

GOLPE DE ESTADO


Mor, ouvi essa musica hoje, to cada vez mais ansioso, nao vejo a hora de te encontrar com as malas na mao, vindo de vez pra ficar, aqui e tudo frio, tudo sem cor, o que me anima e saber que daqui a pouco voce vem. por isso entrei aqui.te amo.muito!  Fa

26 de set de 2007

SUPERNOVA



Que sou?
há tempos não sou mais astro,estrela,
hoje resquicios do que um dia brilhou;
pedaços expandidos, perdidos, que vagam...


Quanto de mim há em ti?
Quanto de nós caminha por outros corpos sem sequer imaginar que seria possível?
São tantos desconhecidos, tantas desconexões.

As vezes me vejo um buraco negro, em algum lugar da galáxia prestes a engolir tudo aquilo que por mim passar.
Faço mesmo parte deste universo?
Tenho medidas? Latitudes?
Um dia talvez descubra,ou não.

Mas tenho a certeza de que há uma longitude em mim.
Quando me vejo longe de tudo, a uma distancia de bilhões de anos luz.
Tenho meus vizinhos, vênus, saturno, e plutão, que acaba de ser despejado, deportado.

Explodi há muitos anos, me perdi, e o que você vê hoje é apenas uma imagem antiguíssima.
Uma SUPERNOVA, eis o que sou.




22 de ago de 2007

TEATRO MAGICO - PRATO DO DIA

Como arroz e feijão,
é feita de grão em grão
Nossa felicidade

Como arroz e feijão
A perfeita combinação
Soma de duas metades

Como feijão e arroz
que só se encontram depois de abandonar a embalagem
Mas como entender que os dois
Por serem feijão e arroz
Se encontram só de passagem

Me jogo da panela
Pra nela eu me perder
Me sirvo a vontade, que vontade de te ver

O dia do prato chegou é quando eu encontro você
Nem me lembro o que foi diferente!
Mas assim como veio acabou e quando eu penso em você
Choro café e você chora leite

Choro café e você chora leite

18 de fev de 2007

Tendal Da Lapa

Ontem comecei mais um dos meus infinitos cursos no tendal da lapa. rs

Interpretação de literatura. O curso conta com diversas leituras e palestras sobre teoria, adaptação, interpretação e análise dos textos.
Nossa primeira aula foi sobre linguística poética e cultura: estudos de texto latino bucólico: Teócrito e Virgílio.

As palestras contam com um ambiente descontraido, um cenário despojado e publico realmente interessado.

Terá duração de duas semanas.

De: 17/02 á 02/03 ás 20:30

Alem de outros diversos cursos, e oficinas.



Todas as atividades promovidas no TENDAL DA LAPA são gratuitas e de facil inscrição.
A foto acima é a preparação do espaço para mais um sarau , promovido todas as quintas as 21:00 hrs e sabados as 16:00 hrs.



Oficina Tendal Da Lapa
Rua Guaicurus 1.100 , lapa