26 de set de 2007

SUPERNOVA



Que sou?
há tempos não sou mais astro,estrela,
hoje resquicios do que um dia brilhou;
pedaços expandidos, perdidos, que vagam...


Quanto de mim há em ti?
Quanto de nós caminha por outros corpos sem sequer imaginar que seria possível?
São tantos desconhecidos, tantas desconexões.

As vezes me vejo um buraco negro, em algum lugar da galáxia prestes a engolir tudo aquilo que por mim passar.
Faço mesmo parte deste universo?
Tenho medidas? Latitudes?
Um dia talvez descubra,ou não.

Mas tenho a certeza de que há uma longitude em mim.
Quando me vejo longe de tudo, a uma distancia de bilhões de anos luz.
Tenho meus vizinhos, vênus, saturno, e plutão, que acaba de ser despejado, deportado.

Explodi há muitos anos, me perdi, e o que você vê hoje é apenas uma imagem antiguíssima.
Uma SUPERNOVA, eis o que sou.