18 de mai de 2009

devaneios

Meus pensamentos são algema e chave,
me prendem e libertam, me isolam e me agrupam...
essa ausência que se faz sentir; sonho real; loucura.
onírico...
Uma interrogação enorme, alternativas flutuantes.
Luxuria,falta,ausência...sons.
Adequado? A que ? por quem?
Hábitos,silêncios, controvérsias.
Um ou dois dedos de conversa, um almoço, um silencio quase ensurdecedor.
Nessa linha do tempo, diálogos , ditongos, palavras e frases; estrofes destruídas canção sem voz.
Assovio mudo, passos perdidos...
Quanto tempo esperou?
Por mim sem que eu nunca fosse ...
Sim, estava lá!
Não me viu?
Me perdi entre o avião, e a plataforma...
Minha mala ainda hoje esta girando no carrossel!
Que teria sido se eu chegasse ao meu destino?
Seria mesmo meu destino,seria ilusão?
Sonhos de uma noite de verão, veraneios, devaneios...
Teria hoje em meus dedos mais anéis?
Incógnitas me afligem,que foi de ti ? e que teria sido.
Meu veredicto cruel, a eterna interrogação:
Quanto tempo me esperaste?


Um comentário:

  1. Anônimo02:26

    Faria diferença se disesse que ainda espero?


    fa

    ResponderExcluir